Mas você está sozinha, quem sabe o que você disse para as trevas na amarga vigília da noite, quando sua vida parecia estar se comprimindo. As paredes do seu quarto sufocando você. Uma gaiola prendendo uma coisinha selvagem. Tão solitária, tão fria, como uma manhã de pálida primavera que ainda se apega ao frio do inverno.