Aleph Ozuas

Trate-me por Aleph Ozuas, ou simplesmente AO. Comecei a ouvir diariamente o lamento do modem de 28.800 em 1996: criei minha bela página com GIFs saltitantes no GeoCities; baixei o ICQ; virei adepto do IRC, principalmente do canal #Illuminati; comecei a trabalhar com criação de websites utilizando o novíssimo HotDog Pro e abandonei definitivamente o webdev em 2007. Em 1998 decidi que iria pedalando até o Chile e após percorrer quase 3.000 Km em 25 dias engolindo poeira cheguei a Santiago na companhia de dois amigos. Na volta conheci a Leila Lampe, que me aguenta até hoje e com quem criei a Corrupiola em 2008, unindo afinidades e paixões. Em 2005 me graduei em Letra-Inglês na UFSC; no início de 2009 defendi minha dissertação de mestrado “O cut-up de William Burroughs e suas ressonâncias num contexto alienígena” e em março de 2010 iniciei meu doutorado em teoria literária na mesma instituição, continuando a exploração do estilhaçamento da palavra. Os antigos processos tipográficos são minha nova paixão e aos poucos se misturam com minha pesquisa acadêmica e a transubstanciação da palavra em objeto.