Ariel Rechter

Ariel Rechter

Analista de sistemas por formação, mochileiro e fotógrafo por paixão. Era meados de 2009 quando fui contratado por umas das maiores empresas de TI do mundo. Meu objeto: comprar um carro. Antes disso, com o pouco dinheiro salvo decidi fazer um mochilão pela Bolívia e Peru até Machu Picchu, a cidade perdida dos Incas. Descobri minha verdadeira paixão: viajar. Desde então viajei por 13 países diferentes, morei no exterior, criei valores, tornei-me espiritual e consciente, fiz tatuagens. Nem sempre foi fácil, mas afinal é melhor atirar-se à luta em busca de dias melhores, mesmo correndo o risco de perder tudo, do que permanecer estático, como os pobres de espírito, que não lutam, mas também não vencem, que não conhecem a dor da derrota, nem a glória da vitória. Até hoje não tenho um carro!