Beatriz Araújo

Todo mundo começa me chamando de Bia. Aí descobre que eu tenho 9 graus de miopia, que meu sotaque não combina com a minha origem, que eu jogo(ava) xadrez, que tenho uma mãe que faz os melhores doces do mundo, que sou caiçara apesar de estar mais branca que papel, que eu adoro coisas bonitas apesar de ter zero talento para arte, que costumo balbuciar reclamações sem sentido aparente em qualquer oportunidade, que se eu pudesse só andaria de havaianas, que eu gosto de verdade de coisas trash, que eu não dirijo nem tenho carta, que eu não tenho paciência pra falações chatas muito longas e que eu quero mesmo é viver viajando e comendo bem, mais nada.

Depois vira Beá e fica tudo certo.